Presidente do CREA-SP, Eng. Telecom. Vinicius Marchese Marinelli, fazendo a entrega do diploma ao Eng. Sergio Augusto Berardo de Campos.

ENTREVISTA COM O ENGENHEIRO SERGIO AUGUSTO BERARDO DE CAMPOS – 50 ANOS DE SERVIÇOS À ENGENHARIA DO BRASIL

Sergio Augusto Berardo de Campos, formado em Engenharia Mecânica pela Escola de Engenharia da Universidade Federal do Paraná em 1968 recebeu do presidente do CREA-SP, Eng. Telecom. Vinicius Marchese Marinelli, no dia 16 de dezembro de 2021, o diploma da Láurea de Reconhecimento aos seus 50 anos de registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo.

Sergio é membro da diretoria da Associação de Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Valinhos (AEAAV) ocupando a Diretoria de Relações Públicas e foi Conselheiro do CREA-SP pela entidade na Câmara Especializada de Engenharia Mecânica até o último dia 31/12/2021.

A AEAAV o entrevistou e segue abaixo um pouco do que ele nos contou sobre sua atuação como Engenheiro Mecânico ao longo desses 50 anos de carreira, confira:

AEAAV – Sergio, como foi o início de sua carreira e porque escolheu a engenharia como profissão.

Sergio – Sempre gostei de mecânica. Quando criança gostava de consertar brinquedos, principalmente carrinhos. No momento de fazer a escolha do curso universitário que eu deveria cursar o setor de química e geologia também chamaram minha atenção. Quando fizemos uma visita a Universidade em Ouro Preto, MG, a pesquisa de pedras preciosas também foi muito interessante, mas a Mecânica prevaleceu.

Iniciei a carreira como Eng. Projetista de Sistemas de Automação Pneumática. Fazia projetos e vendas do sistema projetado. Rapidamente mudei para projetos de máquinas especiais de usinagem. A seguir fui trabalhar em uma empresa que fabricava máquinas e equipamentos para a indústria de Papel e Celulose. Fiquei nesta área até me aposentar em 2008. Depois abri uma empresa de consultoria na mesma área e em 2016 encerrei minhas atividades na área.

AEAAV – Sergio, ao longo de sua carreira e principalmente nas últimas décadas houve uma grande revolução tecnológica na indústria, novos componentes, novos processos de produção. Como você acompanhou a automação da indústria e qual a sua opinião sobre a revolução da Industria 4.0.

Sergio – Eu me formei em 1968 e minha vida profissional foi a maior parte sem a presença da Indústria 4.0. Hoje vemos que ela veio com tudo e como visto em um vídeo, daqui a alguns anos, vamos olhar para nossos celulares como olhamos hoje para a régua de cálculo.

AEAAV – Sergio, como você vê o uso de ferramentas digitais no dia a dia da engenharia na indústria. Faça um paralelo de como era no início de sua carreira e como está hoje.

Sergio – No início de minha carreira, como projetista, eu trabalhava em pranchetas com tecnígrafos. Hoje isso é impensável, com o uso de programas de computador que usam até sistema 3D.

 AEAAV – Quais momentos mais gratificantes em sua carreira?

Sergio – Foram muitos e difíceis de mencionar. Talvez o primeiro emprego, logo saindo da Universidade, seja o mais importante, ainda sem experiência e tendo os desafios pela frente.

No final de minha carreira, depois de passar de projetista, manutenção mecânica, gerente de departamento de engenharia e finalmente como Gerente de Projetos onde tive a oportunidade de participar em diversas áreas de atuação em empreendimentos de implantação de Indústria de Papel e Celulose, ficarão na minha memória.

AEAAV – O que você diria aos jovens que estejam pensando em seguir a carreira de engenharia?

Sergio – No meu caso, eu sempre adorei o meu trabalho. Como em toda profissão, se você gosta do que faz já é uma vantagem. Considero que a Engenharia (quaisquer das modalidades), é um campo lindo e que tem grandes desafios e oportunidades. Também têm dificuldades que são um estímulo para o desenvolvimento pessoal. Importante é nunca parar de se atualizar. AEAAV – Sergio, PARABÉNS pelos 50 anos de serviços a Engenharia do Brasil. Poderia deixar uma mensagem aos jovens que estão iniciando a carreira e a importância do Conselho Profissional a eles.

Sergio – O CREA, no caso, nosso Conselho, é muito importante para os engenheiros, pois sua maior atuação é defender o exercício da profissão e tem diversas outras atividades que podem ser consultadas em seu site.

Quando me mudei para Valinhos, iniciei minha participação na Associação de Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Valinhos (AEAAV), aqui fui indicado por ela a ser Conselheiro no CREA-SP, representando-a. Foram 6 anos como suplente e 3 anos como titular. Infelizmente a pandemia de covid-19 atrapalhou um pouco, mas não paramos de trabalhar no Conselho, nem na AEAAV.

Importante também é a atuação da AEAAV na união dos profissionais e no trabalho que realiza em defesa e ajuda da sociedade Valinhense. Aproveitando o ensejo, peço a todos os profissionais da área tecnológica de Valinhos que se associem a ela.

Diploma de Láurea de Reconhecimento recebido pelo Eng. Sergio Augusto Berardo de Campos pelos 50 anos de exercício da Engenharia no Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.